As principais chuvas de meteoros visíveis do hemisfério sul!

 

 

Chuvas de meteoros em Junho

 

Na primeira quinzena de junho, entre os dias 2 e 14, acontecem as datas de ocorrência máxima de meteoros de várias chuvas com radiantes no interior ou nas proximidades da constelação de Scorpius (o Escorpião). São radiantes de baixa atividade mas, em conjunto, devem produzir taxas em torno dos 20 meteoros por hora. Os meteoros pertencem aos seguintes radiantes:  c-scorpídeos (com período entre 27 de maio a 20 de junho e máximo em 2 de junho), w-scorpídeos (com período entre 24 de maio a 13 de junho e máximo em 4 de junho), scorpídeos (com período entre 29 de maio a 10 de junho e máximo em 5 de junho), librídeos (com período entre 8 a 9 de junho e máximo em 8 de junho), ophiuchídeos austrais (com período entre 20 de maio e 30 de junho e máximo em 9 de junho), q-ophiuchídeos de junho (com período entre 20 de maio e 30 de junho e máximo em 10 de junho) e scorpio-sagittarídeos (com período entre 30 de maio e 1 de julho e máximo em 14 de junho).  A região a ser observada encontra-se a leste ao anoitecer e pode ser vista até o amanhecer, quando se encontra para os lados do oeste; atinge a região mais alta do céu por volta da meia-noite.

 

Neste período ocorre, também, o máximo dos circinídeos, em 4 de junho. Circinus é uma pequena constelação situada junto à famosa estrela Toliman ou Rigil Kentaurus (Alpha Centauri) que se situa próxima à constelação de Crux, o Cruzeiro do Sul. A partir das 20h 30 min, mais dois radiantes juntam-se aos já descritos, ambos situados na constelação de Hercules e que permanecem visíveis até o amanhecer: herculídeos (com período entre 25 de maio e 15 de junho e máximo em 3 de junho) e t-herculídeos de junho (com período entre 19 de maio e 19 de junho e máximo em 9 de junho).

 

 Na segunda quinzena há duas interessantes ocorrências. Em 20 de junho acontece o máximo dos ophiuchídeos boreais, cujo período de observação se estende de 2 de junho a 2 de julho. Espera-se, na data do máximo, um taxa horária de 10 meteoros. Esta chuva apresenta muitos meteoros brilhantes e muitos fireballs. A área do radiante é vista desde o anoitecer (a leste) até o amanhecer (a oeste); atinge a região mais lata do céu por volta da 1 hora.

 

Entre 25 de junho e 3 de julho o radiante dos corvídeos está ativo, apresentando uma taxa horária máxima da ordem de 10 meteoros em 27 de junho. A boa posição do radiante  para os habitantes do hemisfério sul facilita as observações no início da noite: Corvus encontra-se nas proximidades do Zênite e é visto até a meia-noite, quando está próximo ao horizonte oeste.

 

resumo extraído de  "Chuvas de Meteoros - Guia Prático de Observação"

de autoria de Paulo G. Varella e Regina A. Atulim

 

 

 

voltar