As principais chuvas de meteoros visíveis do hemisfério sul!

 

 

Chuvas de meteoros em Julho

 

Ao longo do mês de Julho importantes radiantes se manifestam e, a seguir, listamos as principais ocorrências. Ao longo da primeira quinzena destacamos os máximos dos  pegasídeos e dos capricornídeos. Na segunda quinzena, destacam-se os delta-aquarídeos austrais e os alpha-capricornídeos.

 

Os pegasídeos constituem uma chuva de curta duração e pequena intensidade, com máximo no dia 9. São meteoros rápidos e vistos preferencialmente no final da madrugada. A taxa horária deve situar-se em torno de 8 meteoros, geralmente muito tênues. No início de julho, a área do radiante (ponto do céu de onde parecerão provir os meteoros) pode ser vista a nordeste, a partir das 23h 30min e sua observação pode se estender até o amanhecer quando está alta para os lados do norte.

 

Os capricornídeos apresentam duas datas de máxima ocorrência: 8 e 15 de julho, sendo que a de 15 de julho é a principal. A taxa horária é de cerca de 6 meteoros. Os capricornídeos são preferencialmente vistos na primeira metade da noite, entre o anoitecer e as 23h 30min, quando a área do radiante, devido ao movimento diurno, desloca-se do horizonte, entre as direções do leste e do sudeste, para a região mais alta do céu. São meteoros lentos, geralmente brilhantes, com colorações que variam do amarelo ao azul e mostram longos traços, alguns persistentes.

 

A Delta-Aquárida é uma chuva com duplo radiante: o boreal e o austral. Em 28 de julho manifesta-se o austral, o mais ativo dos dois, apresentando taxas que variam de 13 a 30 meteoros por hora, amarelos ou amarelo-azulados, com traços longos e não muito brilhantes e mostram velocidades moderadas. Os delta-aquarídeos austrais estão associados ao cometa 2P/Encke, cujo período orbital é da ordem de 3,3 anos. No final de julho, o radiante começa a ser visto a partir das 21h 30min, a leste e pode ser observado até o amanhecer, quando se encontra a oeste. Por volta da 1h, está na região alta do céu, ao norte do zênite, para os habitantes do sul do Brasil. Espera-se um aumento na taxa de meteoros no período entre 2 e 5 horas, na data do máximo.

 

A Alpha-Capricornídea é uma chuva de baixa intensidade. A ocorrência máxima deve acontecer na noite de 30 de julho, mas há a possibilidade de vermos muitos meteoros em 29 de julho, 1 e 2 de agosto. Predominantemente, os meteoros são amarelos mas alguns são, nitidamente, avermelhados. Uma das características mais marcantes da chuva é a de apresentar vários meteoros lentos e brilhantes, com rastros persistentes e freqüentes fireballs espetaculares. No final de julho e início de agosto, o radiante pode ser visto a noite inteira. Ao anoitecer, encontra-se pouco acima do horizonte és-sudeste. Em torno das 5h, está a oés-sudoeste; por volta da meia-noite está na direção norte-sul, próximo ao zênite. Esta chuva parece estar associada ao cometa P/Honda-Mrkos-Pajdusakova, cujo período orbital é de 5,27 anos.

 

 

resumo extraído de  "Chuvas de Meteoros - Guia Prático de Observação"

de autoria de Paulo G. Varella e Regina A. Atulim

 

 

 

voltar